Realmente, adotar é tudo de bom!

0
806
» Théo e Murilo com a Nutella, no dia da adoção

A feira de adoção de animais acontece neste sábado, na Praça Jones Santos Neves e será a oportunidade para quem gosta desses peludos de quatro patas. Alguns bichinhos já estão castrados, vale a pena conferir


Ter um animal de estimação em casa é uma das grandes felicidades, para quem curte os pets. Quando esse bichinho chega em um lar, depois de uma difícil história de maus tratos ou dos perigos de viver na rua, a satisfação em poder cuidar desse “pessoalzinho” de quatro patas, é renovadora. Ao menos, é isso o que revelam os entrevistados pela reportagem de A Notícia.

A trabalhadora rural Vânia Tomé Vieira, 39 anos, é moradora da Escadinha, e adotou a Menina, uma cadela adulta, vira-lata, na última feira de adoção, em Nova Venécia. Com quintal, espaço para se divertir, a Menina agora vive com mais três cachorros e um gato. “Fiquei muito feliz em poder adotá-la, foi um presente para mim e meu marido. Quando me falaram que ela estaria na feirinha de adoção, eu fui ver e me apaixonei a primeira vista. Era desse jeitinho que eu queria, da mesma cor da minha que perdi”, diz Vânia.

A cadela, de acordo com a trabalhadora rural, chegou, não para substituir, mas para acalentar seu coração, depois que uma outra cachorra dela morreu. “Eu estava muito triste, minha cachorrinha morreu, provavelmente picada por uma cobra. Tentamos salvá-la, mas não conseguimos”, diz.

Vânia afirma ter participado da feira de adoção pela primeira vez, e que também nunca havia adotado um animal, já que os outros bichos que ela têm, foram presentes. A Menina chegou à feira de adoção através da servidora pública, Luciana de Oliveira, que deu lar provisório à cadela, após saber que o animal havia sido estuprado, vivendo em péssimas condições na rua. “Nós já a conhecíamos e a alimentávamos na rua. Ela ficou doente também, resolvemos ficar provisoriamente com a Risadinha e cuidar”, diz Luciana.

Risadinha era o nome que a Luciana, o marido e a filha deram à atual Menina, que depois que chegou ao lar da servidora pública, foi diagnosticada com câncer, fez quimioterapia e foi castrada. “Já temos seis gatos e tínhamos outros cachorros, por isso esperamos que ela ficasse saudável, para doá-la. A Risadinha foi a primeira a ser adotada na feira, para mim ela não iria conseguir um lar, por ser adulta e por não ter um padrão que a maioria deseja”, fala Luciana.

» Vânia Tomé Vieira adotou a Menina na Feirinha de Adoção

Nutella chegou!

A Tarini Piassaroli de Lima Almeida, 39, é outro exemplo de que, adotar é realmente tudo de bom. A empresária resolveu visitar uma feirinha de adoção e quando chegou lá, se apaixonou por uma filhotinha, uma gata. Sem nunca ter tido um animal, não pensou duas vezes e levou a Nutella para casa. Hoje a família da Tarini, que tem dois filhos, conta com mais um integrante. O pretinho chegou ao lar através de um presente de uma amiga. “Entrei para o grupo e realizo trabalho voluntário em benefício dos animais. Em meio a todos os casos que estive envolvida, a minha mãe adotou duas cachorras de uma ninhada que acolhi”, relata.

» Théo e Murilo com a Nutella, no dia da adoção

Valentina é resgatada e tem vida nova

Outra história transformadora, é a da integrante do “Adotar é Tudo de Bom”, Jania Righette, que há alguns meses encontrou na calçada da sua casa, a Valentina, sem a pelagem e muito doente. Jania notou que a cadela foi abandonada ali. “Ela era filhote ainda, quando cheguei perto vi que era sarna que ela tinha, e feridas. Não tinha outra coisa a fazer, senão, a acolher e cuidar, foi o que fiz”, diz.

Jania relata que, com poio do grupo, cuidou da Valentina por 45 dias, e somente após a cadela estar recuperada, é que foi adotada definitivamente. Foi um longo período de tratamento, sendo necessário medicá-la até de madrugada, tive muito amor e dedicação. E valeu a pena, aprendi que fazer o bem, não se estende somente aos humanos, mas a todo ser vivo criado por Deus”, conta.

A Valentina, de acordo com a integrante do grupo, está bem, e foi adotada por uma família que mora em Guriri. A Jania, por que não ficou com ela? “Queria muito, chorei no dia de entregá-la, mas já tenho seis cachorros”, explica.

» Jania Righette acolheu a Valentina, que estava em uma calçada, doente, com feridas e sarna

Adote um bichinho

O grupo “Adotar é Tudo de Bom” realiza neste sábado (06), a partir das 8h, na Praça Jones Santos Neves (Praça do Bradesco), a Feira de Adoção. Por lá terão cães e gatos a espera de um lar, alguns já castrado. O grupo, que é formado por voluntários, enfatiza a importância da castração e dos cuidados que todo animal de estimação precisa ter, entre visitas a veterinário e exames. A ação terá a participação dos alunos da EEEM Maria Dalva Bernabé. Ainda, o “Adotar é Tudo de bom” divulga que tem cofrinhos espalhados em comércios da cidade, que é onde voluntários podem contribuir com doações. Outra forma de ajudar é a contribuição mensal de qualquer quantia, sendo por depósito ou carnê. Sem apoio e independente, o grupo desenvolve trabalho de castração e cuida de animais de rua. Informações pelo Facebook Adotar é tudo de bom.

» Juju foi castrada e aguarda adoção
Compartilhar

Deixe uma resposta

*