Projeto “Coletivo Rodas Literárias” desperta interesse na leitura

0
55

Em Nova Venécia, um projeto vem resgatando o hábito de leitura e, é claro, de ouvir histórias.

De iniciativa das psicólogas Samilla Freitas, Simone Clabunde Ribeiro e Ketle Silva, juntamente com a estudante de psicologia do 10º período, Karolynne Oliveira, o projeto tem como objetivo, movimentar oficinas de contação de histórias de literatura brasileira pela cidade.

O projeto tem a realização da Secretaria de Cultura do Estado do Espírito Santo e faz parte do edital de “Culturas Coletivas Juvenis”, que abre vaga para pleitear projetos culturais realizados por jovens capixabas ao redor do Estado.

As psicólogas formam o “Coletivo Rodas Literárias”, que vem acontecendo no município desde março, sendo duas oficinas mensais, uma em cada instituição diferente.

Por ter uma característica itinerante, o projeto já visitou algumas instituições venecianas como a Casa do Vovô, Centro de Convivência do Idoso (CCI), Escola de Educação Infantil Maria Caliman Lobo, Casa Lar, além de grupos infantis do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), e Centro de Atenção Psicossocial (CAPS).

As oficinas do “Coletivo Rodas Literárias” não são restringidas apenas à contação de histórias, mas, também, às práticas de atenção por meio da respiração. “Quando convocamos a atenção concentrada à nossa respiração, trazemos uma maior compreensão do aqui e agora, o que pode facilitar no entendimento da história contada, onde uma experiência com a oficina que se torna mais atraente através da prática”, afirma a psicóloga, Simone Clabunde Ribeiro.

A última oficina vai acontecer dia 16 de agosto, às 15h, no Centro Cultural Casarão e será aberta ao público de forma geral, com apoio da Prefeitura de Nova Venécia, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo. “Somente quem conhece a importância da literatura na vida de uma pessoa, é quem sabe o benefício que uma simples história pode proporcionar, não há tecnologia no mundo que substitua o prazer de tocar nas páginas de um bom livro”, disse o secretário de Cultura e Turismo, Anderson Sabino.

Durante a atividade, será realizado um balanço de todas as oficinas desenvolvidas. “Pretendemos fazer um fechamento trazendo de tudo um pouquinho do que trabalhamos até hoje, embora a história que será contada seja inédita”, acrescentou a formanda, Karolynne Oliveira.

“Não se forma bons leitores se eles não têm um contato íntimo com os textos. Há inúmeras maneiras de fazer isso, e esse projeto apresentado, trabalha de uma forma que seja interessante e desperte a curiosidade das pessoas, pois o hábito de leitura é um processo constante, preparando uma oficina linda com toda dedicação e carinho”, finalizou a psicóloga, Samilla Freitas.

Para acompanhar as novidades do projeto, as profissionais publicam as oficinas nas redes sociais, através do Instagram @rodasliterarias. Para entrar em contato e buscar mais informações, basta enviar e-mail para [email protected], [email protected] ou [email protected].

Compartilhar

Deixe uma resposta

*