Giba pede para sair do reality 'Exathlon Brasil'

0
67

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Nesta segunda (16), o campeão olímpico e ex-jogador de vôlei Giba, 40, foi o primeiro participante a desistir do “Exathlon Brasil” (Band) e deixar para trás o prêmio de R$ 350 mil.
No time dos Heróis, o competidor fez amizade com os outros participantes e estava sempre presente para ajudar. “Eu tentei meio que ser um paizão lá dentro, mostrar para eles a experiência que eu tenho de vida, experiência que eu tenho convivendo 20 anos com a seleção e 27 anos de carreira”, disse Giba.
Os integrantes do grupo fizeram uma homenagem para o campeão olímpico. O momento foi um dos mais emocionantes do reality. “Essa tristeza se deve ao fato de eu ter cuidado de todo mundo, mas não mandado. Acho que mandar é uma coisa meio ruim”, contou ele.
A decisão de sair do programa não foi precipitada. Giba disse que pensou durante quatro dias se esta seria a melhor escolha. “Eu pensei bastante. Guardei um pouco para mim, pensei durante quatro dias.”
“Eu sou uma pessoa muito emotiva, mas quando eu tenho que agir com a razão, eu paro e penso. Nada melhor do que algumas noites de sono para refletir”, explicou ele, adicionando que não se arrepende da decisão. O motivo é simples: A família.
“Desisti do Exathlon por causa da minha família e dos meus filhos. Viajei por 20 anos com a seleção e, quando eu pisquei o olho, minha filha já estava com 13 anos e meu filho com nove. Eu aceitei o desafio porque a minha vida é movida desafios. Aqui tive um aprendizado muito grande, mas infelizmente eu preciso ver meus filhos crescerem”.
AMIZADE
No programa, Giba se aproximou de alguns competidores e era muito querido por todos de seu time. Pedro Scooby, que era um dos participantes mais próximos do campeão olímpico, chorou com a decisão do colega.
“O choro dele foi realmente o choro de um filho. Um amigo que eu ganhei em três semanas. Não sei se um filho ou se um irmão para o resto da vida”, disse Giba.
Agora que Giba está fora, a expectativa é que Scooby se torne o novo líder, embora o ex-jogador de vôlei garanta que não pensou em treinar o competidor para “substituí-lo” no reality. “Eu fui mostrando devagarinho para ele que ele é um líder nato, que ele é uma pessoa especial. Ele só precisava entender como comandar. Isso foi a principal coisa eu que tentei mostrar para ele e eu vi que ele aprendeu bastante.”
Sobre quem ele espera que ganhe a competição, não tem segredo: “Minha torcida agora no Exathlon Brasil, sem dúvida nenhuma, vai para o Scooby, para a Ana e para a Betina.”
“Falei do Scooby: ‘Não sei se filho ou irmão’. A Ana foi uma pessoa que me surpreendeu muito positivamente e eu tenho um carinho pela Betina porque, quando eu jogava, eu a peguei no colo e ela tinha quatro anos. Então, é uma pessoa mais que especial para mim. Minha torcida vai para os três. Que ganhe o melhor”, finalizou.

Fonte: FolhaPress