Escola constrói caixa para reutilização de água

0
149

A Escola Municipal de Educação Integral e do Campo (EMEIC), Francisco José Mattedi, localizada no Córrego General Rondon, na rodovia que liga Nova Venécia a São Gabriel da Palha, está construindo uma caixa com a capacidade para armazenar 5 mil litros de água dos bebedouros, pias e da chuva para a reutilização na própria instituição, em serviços como limpeza.

O projeto faz parte da Agenda 21 Escolar, que é um plano de ação sustentável originado na Conferência Infanto-juvenil pelo Meio Ambiente, quando os jovens sentiram a necessidade de participar das decisões que implicam no seu dia a dia. Na Escola, a Agenda ela foi dividida em cinco etapas: sensibilização, reflexão, diagnóstico, plano de ação e avaliação.

A construção da caixa está no estágio do plano de ação e está sendo feita com recursos provenientes de atividades promovidas pela Escola, como sorteio de prêmios e uma Tarde Cultural, onde foi falado sobre alimentação saudável e pedagogia da alternância. Durante o evento, diversos produtos foram comercializados para arrecadar dinheiro.

A ideia da construção da caixa de armazenamento de água surgiu na fase do diagnóstico da Agenda 21 Escolar e através de debates em reuniões com a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (COM-VIDA), formada pelos estudantes, educadores, funcionários, comunidade e direção, e tem o apoio da diretora Thelma Chiarelli Cerri.

De acordo com a pesquisadora da Ufes e servidora do Ifes, de Nova Venécia, Paula Salvador, que está em fase final de dissertação de mestrado, a Agenda 21 Escolar é de muita importância para o universo estudantil. “Tem como você desenvolver a educação ambiental crítica através do instrumento Agenda 21, porque essa escola é um exemplo e a reflexão acontece concomitante a todas as etapas. Não é porque a pesquisa se encerra que a educação ambiental também se encerrará”.

Para ela, o projeto deixará um grande legado. “É uma educação para a vida, porque faz com que as pessoas reflitam sobre a sua realidade e que a partir disso possam transformar, mudar e melhorar sua qualidade de vida e o meio ambiente em que vivem”.

Paula ainda falou sobre a importância de ampliar a estudo do meio ambiente nas escolas. “Tanto a educação ambiental, quanto a pedagogia da alternância, que é a educação do campo, são importantes não por transformar a realidade, mas para que os sujeitos transformem a sociedade e a si mesmos”.

Compartilhar

Deixe uma resposta

*