2 – Papel de FHC não é "pôr lenha na fogueira", diz Rodrigo Maia

0
47

JOSÉ MARQUES
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), disse que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) não “colabora” ao “colocar mais pressão nessa crise que o Brasil vive”.
Maia se referia ao artigo publicado nesta segunda-feira (16) na Folha em que FHC defendeu que Michel Temer renuncie ao mandato. O tucano pediu que o presidente tenha “a grandeza de abreviar seu mandato”.
O presidente da Câmara reagiu ao artigo em evento da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), durante a tarde.
Ele disse que o ex-presidente sempre discutiu “de forma tão competente, a vida inteira, todos os temas da sociedade”, mas ao falar sobre a renúncia de Temer “parece que está querendo participar desse processo, como se estivesse querendo voltar ao passado, como se fosse um jovem estudante, querendo marcar uma posição”.
Para o deputado, essas questões devem ser discutidas após a apresentação da denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente, alvo de gravação e delação da cúpula do grupo J&F. A expectativa é de que isso ocorra ainda essa semana.
Segundo ele, um político com a importância de FHC não pode “ficar gerando menos estabilidade”.
“Vai chegar a denúncia. É grave, tudo é grave, ninguém está dizendo que não. Mas o nosso papel, como políticos que estão em posição de destaque, políticos que já exerceram função importante como a Presidência, não é colocar lenha na fogueira nesse momento”, afirmou.
“Um discurso com mais paciência, mais conservador, colabora mais. Eu acho que ele pode colaborar de outras formas, não com essa.”
O ex-presidente ainda sugeriu no artigo que, como saída para a crise política, sejam convocadas eleições gerais. Questionado se a possibilidade é factível, Maia apenas criticou as divergências entre os tucanos.
“Sabe o que acontece? No início da crise, parte do PSDB defendia eleição indireta, aí a aparece o ‘diretas já’. Eu acho que esse ziguezague não colabora com o Brasil”, disse.
Os pedidos de impeachment de Temer, segundo ele, não serão colocados em andamento porque todos os fatos listados nas representações “certamente estão na denúncia” da Procuradoria-Geral da República.

Fonte: FolhaPress